Mostrar mensagens com a etiqueta Sereia. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Sereia. Mostrar todas as mensagens

dia 9 dezembro 2015




Afastei-me de tudo e todos! Me afastei do Mundo, o mundo para o qual eu era uma estranha e uma simples aberração...
Desapareci e em busca da minha essência fui... Voltei ao meu EU!
E agora regressarei... Com meus encantos mais fortes do que alguma vez estiveram e agora sou uma nova Sereia e minha alma renovada está mas não me posso esquecer dos que no passado me magoaram e agora eles do seu próprio veneno provarão.
Regressei com um novo EU e uma nova historia prestes a ser contada está!

O destino mudado esta e nada me pode parar!

dia 12 de novembro 2013


O navio afundou, a mascara caiu 
O mundo não é pintado de rosa,
como nesta prisão onde me prenderam!
Viver não é um conto de fadas,
como aqui parece!
Tal como nascer e morrer
Amar pode começar e acabar.
Mas pelo meio uma parte de nós se quebra
Somos fragementos de nós mesmo
O futuro é a sombra do passado e,
é nela que temos que viver!
A verdade finalmente veio ao de cima!
E só agora conseguirão ver a verdade
E meu destino novamente muda...

dia 7 de Novembro 2013





Sou uma criminosa...
Uma sugadora de almas... destruidora de vidas
E agora pelos meus crimes irei pagar!
Presa nesta cela da eternidade
Este é um paraíso inventado
Onde a felicidade alheia é a minha punição
E só minha liberdade terei quando...
Aprender a me amar!!!

dia 26 de setembro 2013

 Sou alicerce à beira de ruir...
Sou destruidora de vidas
Posso ruir a qualquer momento
Rápido e silenciosamente
Mas só notarão minha ruina quando por completo cair
Depois de ceder não saberei mais  parar
O desejo será maior
A vontade de ir até ao fim não será mais uma vontade
Mas uma força para eu viver!

dia 25 de setembro 2013

Sou sombra da eternidade. Vivo nesta maldição à qual fim não encontro. Preciso salvar-me mas cada passo é mais um passo para a minha morte.
Mas que destino cruel me calhou.
Posso mil vidas viver mas todas acabam da mesma forma... com a destruição do meu ser. Porque? Porque és tão cruel assim! Livrem-me desta maldição e me deixem viver...

dia 7 de setembro 2013




A minha mente continua a trair-me com pensamentos de ti! Pensamentos de desejo... de me possuíres! Mas destruis-te a minha alma e agora quero matar teu espírito! Transformaste-me no monstro que agora sou!
Minha missão é nunca te deixar chegar a felicidade! Te afastar do que te é querido! E eu sei o que procuras mas não te deixarei encontrar! E a cada passo que dás mais distante ficas....

dia 28 de agosto 2013

Neste enredo por mim criado fui reduzida a pó! Sou alma vazia num corpo que não me pertence! Deixei esta vida sem esperança! Amar é um sentimento que nos deixa fracos... corroí-nos a alma e deixa-nos vazios. A minha existência é eterna mas os corpos que ocupo não...todos eles tem um fim e eu vivo com eles até a última gota de esperança mas nunca os faço amar de verdade. Sou uma sombra! Persigo os sonhos das pessoas e depois destruo cada gota de esperança naquele corpo! Já fui sereia, uma apaixonada tola! Mas agora sou mito escrito num livro de páginas vazias! Minha tristeza me transformou neste ser destruir de esperança... Shadow!

dia 17 de agosto 2013


Sinto falta de ser feliz.
Mas só me resta esta profunda tristeza... mas a culpa é minha!
Fui eu que seduzi e me deixei seduzir. Fui eu que permiti ser brinquedo nas mãos do pescador e do faroleiro mas um me marcou mais que o outro!
O último fez-me conhecer o pior dos sentimentos: a raiva! No fundo o desejei mas ele me desprezou! Mas do pescador sua ninfa fui, ele me idolatrava mas nunca me tratou como devia ter feito, se me adorava assim tanto devia ter-me tratado como uma princesa mas em vez disso me prendeu na sua preciosa gaiola dourada para que todos me pudessem ver...nunca fui feliz! Mas aqui escondida do mundo também não o sou.

dia 26 de julho 2013

Pensei que ia atrás da salvação no caminho para o teu farol, e tu o mesmo me disseste mas a única salvação que encontrei foi  minha desgraça. Deixei-me enganar pelas falsas promessas para agora sofrer. Tento evitar-te mas em vão, cruzo-me contigo onde quer que vá, deixaste-me aqui morar e agora este também e o meu lar.

Espero que já tenhas tido o que querias! Pois de mim já nada mais terás... pois a única coisa que tenho a oferecer e o meu coração partido.

dia 24 de julho 2013

Tenho o coração a mil e a mente no limite. Deste-me a provar do teu veneno e rendida a ti estou. Conseguiste com que eu baixa-se as defesas e agora não sei o que sinto.
Nunca me quis apaixonar, nem por ti nem por ninguém, pois sabia que ao fazê-lo ia levar minha cabeça e meu corpo ao limite!
Não sou suficientemente boa para ti, daí te teres distanciado! Nem para ti nem ninguém! Quem pode gostar de uma pessoa que alma não tem?
E alem de não ter alma sou igual a uma jóia rara, um Ser que o mar é o seu lar e que em terra é considerado um monstro! Mas essa é a mais pura verdade eu sou um monstro, monstro de mim própria! Monstro que meu corpo habita! Monstro que poderes mágicos tem... monstro que atrai quem não deseja!

dia 17 de julho 2013





Lágrimas que por ti choro sentimento não têm, são só pura tristeza que no meu coração deixas-te!
Não sei o que por ti senti muito menos se te amei, mas o certo é que por dentro me quebras-te... não era suposto tal acontecer. Devias ser só o meu salvador mas meus pensamentos acabas-te por preencher! Preciso tirar-te de minha cabeça para libertar esta tristeza que por dentro me corrói mas todos os dias me martirizas! Minha liberdade quero novamente de volta mas fugir não me deixas e me perseguir o farás se eu fugir.
Começo a sentir algo novo: Ódio! Tu mo apresentas-te e agora uma sereia amarga sou!

dia 15 de julho 2013




Enganaste-me fingido ser um porto de abrigo seguro e aos poucos minha confiança ganhas-te, tudo para meu corpo possuísses. Fui fantoche nas tuas mãos ágeis...fantoche que quebrar não te importas-te! E por ti é que em mil pedaços estou partida!
Conserto já não tenho nem nunca tive... sou uma alma perdida que pelo mundo vagueia! Sou fantasma de mim própria... a procura de meu corpo que partido em mil pedaços está! Posso tentar cola-los mas ser a mesma nunca mais serei.

dia 14 de julho 2013

Estou partida em mil pedaços e no meu próprio refúgio aprisionada! Sou corpo sem vida, sou espírito sem alma!
E desta prisão nunca conseguirei fugir pois dentro de mim própria presa estou! Presa ao passado e as memórias, presa a tudo que mal me faz! Tento acordar e delas fugir mas não consigo pois já não me restam forças para lutar. Só me resta viver cada memória como se  do presente se tratasse mas uma coisa não mudará a  maneira como acabam, o final sempre será o mesmo!

dia 11 de julho 2013





Faroleiro que a teu silêncio me submetes. Mudas-te tanto desde que te conheci e o motivo não sei! De atencioso passaste para uma pessoa fria... e assim me feres. Que mal te fiz eu para mudares tanto para comigo!?!
Tanto mudas-te que ao meu refúgio trouxeste aquele pescador cruel que a alma me roubou, deixaste-o visitar-me sabendo que eu queria era distância pois ele só mal me faz.

dia 3 de julho 2013


Faroleiro que minha alma possuis mas meu coração não tens! Entras-te em minha vida para me salvar mas salvação sei que não tenho! Desde que meu corpo possuis-te estranho ages e meu corpo sedento pelo teu está! Quiçá por desejo ou por outro motivo que desconheço mas no silêncio me deixas e respostas assim não tenho!
Sei que por teus lábios anseio a cada dia que passa, desejo-os em minha boca e em meu corpo, mas negas-me o prazer que tu próprio me deste a conhecer! E em todas as noites com isso tenho sonhado... até a última em que de meus sonhos me acordas-te pois salteadores o farol queriam invadir e a salvo me pôr tua prioridade foi...

dia 29 de junho 2013

Sou uma jóia rara nesta terra exótica em que tudo desconheço. Todos me olham alguns com admiração outros com inveja... e outros me querem ter! Mas só um capturou minha atenção e me salvou dos olhares estranhos... segui a tua luz na noite estrelada e me recebes-te no teu pequeno abrigo a beira mar, teu nome não me quiseste dizer só me pediste para te chamar Faroleiro pois é assim que todos te chamam!
Contaste que ao longe me observavas naquele navio e que salvar me querias mas não tinhas como, pois o farol sem ti não podia ficar, mas ao saber da minha presença em terra tua luz lanças-te a aldeia com esperança que eu a seguisse... e assim teu desejo se concretizou!
Tuas palavras me apaixonaram, e embora tua estranha beleza, eu consegui ver o belo em ti e enamorada por ti fiquei... deixei que me possuísses e repetir anseio mas à espera me farás ficar!

dia 23 de junho 2013

Abandonada me deixas-te nesta terra onde futuro não terei! Estou perdida e por este labirinto vagueio à procura de um rumo! Não posso gritar por socorro pois minha voz perdi, foi o sacrifício que tive que sofrer para ao eu lado poder estar!

Mas agora te perdi e a única coisa que ganhei com este teu abandono foi ganhar força para seguir em frente e me afastar de ti... sei que me tens procurado mas em vão pois não vou deixar que me encontres! Não mereces minha companhia por segundos que sejam!
Abandonaste-me por isso me perdes-te para sempre!

dia 9 de junho 2013

Não sou capaz de te tirar da minha cabeça! Abandonaste-me mas ainda não sou capaz de deixar ir embora as memorias contigo partilhadas! Meu corpo deseja-te! Minha cabeça quer-te perto mas sei que esta distância é a coisa certa! Não consigo dizer não ao desejo de te procurar ao desejo de te ter! Mas é necessário um ponto final nesta relação que nunca existiu!

dia 3 de junho 2013



Não confio nos meus sentimentos, já não sei o que sinto! Por onde quer que caminhe mais confusa fico... Que sereia tola fui ao cair nas tuas garras, pescador cruel! Desejaste-me mas agora desprezas-me! Dizes que sou como o inferno na terra mas tal coisa não existe! Sei que sou como o cabo das tormentas, que muitos atrai mas poucos sobrevivem para contar o que lá se passa!
Mas agora abandonaste-me e estou perdida neste destino por ti escolhido, mas de uma coisa sei vou novamente te encontrar mas desta vez para me vigar! Outro corpo tomarei , outro ser serei... e ai quem vai cair nas garras de alguém és tu!

dia 30 de maio 2013

Sinto-me como cal! Sei que me vais dar liberdade uma liberdade condicional! Vais abandonar-me no próximo porto no meio de desconhecidos. Vou sentir-me perdida e afogada na tristeza! Como vais conseguir abandonar a tua pedra preciosa? Eu não quero que o faças! Quero ficar, permanecer ao teu lado mesmo que na sombra! Como vou viver sem o brilho do teu olhar dirigido a mim? 

Follow by Email