Mostrar mensagens com a etiqueta Poesia. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Poesia. Mostrar todas as mensagens

dia 13 de novembro 2014

Sou fogo
e quem o contrario disser 
uma mentira conta

Nenhuma água 
me apagar consegue
muito pelo contrario

E minha fúria
me fará
lavrar ainda mais

Consumo tudo
todos
e tudo a minha volta

dia 2 de novembro 2014


Preciso de sexo!
Do teu sexo!


Desejo-o a cada inspiração...
e ardência em meu corpo sinto
a cada minha expiração
Preciso de teu corpo!
Preciso de sexo!
Sem pudores!
Preciso de te sentir! 
E sem tudo isso...
é como se sem ele eu simplesmente não existisse!

dia 24 de fevereiro 2014




Será que me deixas beijar-te?
Será que me deixas tocar-te?
Será que me deixas sentir-te?
É tudo isso que quero
mas não tenho coragem
Pois meu desejo és tu
e não posso sequer te tocar
E meu corpo pelo teu arde
e toda eu sou fogo

dia 23 de fevereiro 2014

Arrepias meu corpo
deixas-me em alerta
todos meus sentidos apurados
mamilos hirtos.
É assim que me deixas...
Louca por ti,
cheia de tesão!
Teu prazer não me dás...
e és inalcançável!
Deixas-me a salivar
só com o pensamento
de te poder ter

dia 18 de fevereiro 2014


Toda a vez que te visito
só um pensamento tenho em mente,
um desejo a arder em mim...
Quero te beijar sem medo da rejeição
te empurrar contra a parede
quero tocar teu corpo
e é isto que desejo mas não sou capaz
Pois sou como um gato assustado
que teme o desconhecido

dia 16 de fevereiro 2014

Porque me fazes desejar-te
mesmo sem eu querer...
Minha atração por ti é fatal
mas meu corpo o teu quer
És minha maçã de Adão
o fruto proibido da minha imaginação
Quero poder contigo pecar
e até ao limite chegar
Mas do teu desejo preciso

dia 14 de fevereiro 2014



Porque preciso de prazer mas somente tu
fazer vir ao de cima o desejo em mim
Deixas minha cabeça as voltas de desejo
mas não me podes saciar...
embora em teus olhos veja desejo
Quero poder te beijar e agarrar,
despentear teu cabelo
desapertar tua camisa,
mas só o posso fazer na minha imaginação
Não sou ousada o suficiente para sequer tentar
pois a rejeição temo

dia 16 de janeiro 2014



Sou teu palhaço de circo
Presa nesta teia
Prendes-te
no que para ti foi criado
Suspensa estou
 e medo de cair tenho
Pois estas asas
uma farsa são
para uma falsa segurança
um ultimo grito de esperança

dia 12 de janeiro 2014 - parte III


Já no balcão do meu vestido me libertas
Meu corpo com tua língua beijas
Quando por meus seios passas
em meus mamilos uma leve mordida dás
continuas teu percurso nesta leve tortura
E a cada segundo mais excitada fico
Teus dedos estão novamente em meu sexo já frágil
Que ansiosamente espera pelo teu
Sentes minha humidade e com dois dedos me penetras
Arqueio com a surpresa do teu acto
e minha tesão acalmas, continuas tua caminhada
até que tua boca a meu sexo húmido chega
E com tua língua me perco...

dia 11 de janeiro 2014 - parte II


Deixaste-me sem fôlego com essas ágeis mãos
Viro-me para te encarar e em teus olhos vejo fogo
Beijo-te com fulgor enquanto tuas calças desabotoo
caem no chão e minhas mãos teu sexo podem tocar
Mas quando o estou prestes a fazer não me permites
Pegas na fita cola que esta sobre o balcão
e meus pulsos prendes nas minhas costas
colocas-me de joelhos no chão e baixas teus boxers
Esperas por uma acção minha mas não a tens
Colocas teu sexo nos meus lábios fechados
Mas não te dou o prazer de ser fácil
Teus dedos colocas em meus lábios
Como se de uma caricia se tratasse e ai tens o que queres!
Gemes com o prazer e a cada segundo mais intenso é
Sou fogaz em minha tarefa mas desejo mais
Quando estás prestes a chegar ao fim surpreendes-me
colocas-me sobre o balcão com as pernas abertas para ti...

dia 10 de janeiro 2014 - parte I

Entro! Fecho a porta!
Não quero saber das pessoas lá fora!
Sabes da minha audácia
e queres-me satisfazer...
Vens ter comigo e me agarras
com os braços atrás das costas
me levas até o balcão
de costas para ti
Tuas mãos percorrem meu corpo
E reparas que debaixo do vestido
nada mais estou a usar alem de uma meia de liga
Debruças-me sobre o balcão agarrando meus cabelos
puxas meu vestido até a anca e a ti fico vulnerável
Teus dedos percorrem meu sexo
e incapaz de me mover sou!

dia 28 de dezembro 2013




 Esta noite no Baile de máscaras presença marcamos
Fui a anfitriã vestida de Ouro e Diamantes
E tu meu ilustre escravo somente de algemas
Pelo chão gatinhaste sem permissão para ninguém olhar
No final de nossa apresentação no trono permaneci
Contigo de joelhos a meus pés como um cão assustado
O momento da coroação chegou e prêmios foram distribuídos
Chegou o teu momento mais temido
Ganhares a coleira! Pois o teu futuro nela permanecia
Mas primeiro por ela merecer ias ter que te sacrificar

dia 23 de dezembro 2013

 Teus lábios desejo provar mas isso é o passo para o pecado
Mas disso preciso...
Fechar meus olhos e sentir-te
Anseio sentir teu toque
Pelo meu corpo
Desaperto tua camisa
Teu corpo toco
Tuas cicatrizes sinto
Mas neste momento de ti preciso
Para que me dês prazer
Pois minha mente levas a loucura.
Possuis minha mente e corpo
Mas sou eu que em ti mando.

dia 17 de dezembro 2013

Tua pele carmesim é prova da tua dor
Nas minhas mãos ontem
O castigo tiveste pelos teus pecados
Meus beijos tua dor acalmavam
Anseias por mais, mas não admites
Queres meu corpo novamente
Mas esse erro não voltarei a cometer
Pois Luxuria pecado é

E hoje serás minha estátua pintada
De branco como um anjo que não és
No meu leito permanecerás
Mas te mover não poderás

dia 15 de dezembro 2013


O teu desejo senti mal entrei
E agora aqui escondida o terei
Minhas mãos percorrem-te
Dos pés à cintura
Tas excitado mas vou-te deixar
só a sofrer um pouco mais
e quando menos esperares
tenho-te na mão
e arrepias-te por inteiro
Mas o teu prazer vai ser lento
Minha boca vai provar-te
cada centímetro teu
E aqui tudo é para teu prazer
E por minha Luxuria

continuação do post anterior

dia 14 de dezembro 2013


Tas ocupado mas é agora que eu te quero
Sou tua Domme tua mestra
E não me podes dizer que não
Ficas com medo e ao mesmo tempo excitado
Desejas que te possua tanto como eu te quero
Vou ter contigo atras do balcão e baixo-me
Sei que ninguém me verá
Só tens que agir com naturalidade

dia 13 de dezembro 2013

 
Hoje é o dia de passarmos todos os limites
E tua dor é o meu prazer!
Meu desejo mais apurado está
Estas fitas de couro teu corpo irão percorrer
e medo não necessitas de ter
Gentil contigo serei mas se mal de portares
o castigo terei que te dar...
Amarro-te! Mas ainda te podes mover
mas só o suficiente para a tua dor acalmares
Começamos lenta e prazerosamente
Mas rapidamente mudo a intensidade
Clamas por mim. Clamas de desejo!
Mas o prêmio só no fim o terás!!!

dia 5 de dezembro 2013





Pedes para te soltar mas não o posso fazer
É demasiado tarde para isso
Demasiado tarde para voltar atrás
E nosso código ainda não pronuncias-te
Regras não podem ser quebradas
Pois isto é um jogo, o jogo do prazer

dia 29 de novembro 2013




Desejas cada pedaço de corda que coloco no teu corpo
Cada pedaço de cera que deixo cair sobre ele
Comigo vulnerável és
Deixas transparecer todos os teus medos
És tal e qual a um animal
Prestes a ser caçado
Mas comigo tuas noites são de puro prazer
E tu para mim um templo és

Follow by Email