Dia 15 de fevereiro 2017- parte I

Era final de tarde e chovia torrencialmente e eu passeava distraída com os fones ouvindo musica quando de repente algo vem contra mim e só me sinto cair no chão. Meio atordoada e com tudo a girar à minha volta lá estas tu, desconhecido, a olhar para mim com um olhar penetrante como nunca antes vi.
Ajudas a me levantar, perguntas se estou bem ao que respondo que sim e me convidas para tomar algo em tua casa que fica a poucos minutos, embora tente negar o convite tu não aceitas um não como resposta. Caminhamos calmamente com a chuva ainda a cair, mas a chuva não me incomoda, o que me incomoda é o arrepio que me percorre o corpo sempre que te olho. Chegamos a entrada de um prédio e delicadamente tocas no fundo de minhas costas enquanto abres a porta e me guias para dentro e em direcção ao elevador. Te olho, e vejo teu olhar serio sobre mim e vejo que ao contrario de mim não sentes os efeitos da chuva gelada sobre o corpo. Finalmente o elevador para e saímos do elevador contigo sempre atrás de mim a me acompanhar. Entramos em tua casa e tudo está escuro, sinto a tua respiração por detrás de mim, ando alguns passos e tu finalmente decides acender a luz. Depois de um longo silencio finalmente falas e dizes que eu deveria tomar um banho e me guias ate a casa de banho e me deixas um roupão, fechas a porta e me deixas só. Rapidamente tomo um banho bem quente e depois de vestir o roupão te procuro na sala e te encontro sentado já com uma roupa seca e duas chávenas a fumegarem à tua frente, me sento ao teu lado e sorrio para ti. Me ofereces para as mãos uma chávenas e dizes carinhosamente que é chocolate quente e finalmente perguntas meu nome...

por Afrodite Poseidon 

1 comentário:

  1. Sem dúvida, um texto muito bonito e interessante.
    Algo que se acontecesse no dia-a-dia nos apaixonaria, de certeza.
    Gostei muito. Beijinhos. :)

    ResponderEliminar

Follow by Email