dia 14 de julho 2013

Estou partida em mil pedaços e no meu próprio refúgio aprisionada! Sou corpo sem vida, sou espírito sem alma!
E desta prisão nunca conseguirei fugir pois dentro de mim própria presa estou! Presa ao passado e as memórias, presa a tudo que mal me faz! Tento acordar e delas fugir mas não consigo pois já não me restam forças para lutar. Só me resta viver cada memória como se  do presente se tratasse mas uma coisa não mudará a  maneira como acabam, o final sempre será o mesmo!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Follow by Email